Close

Inscreva-se agora! Webinário do MIDAS sobre COVID-19 com o Dr. Thomas McAndrew em 29 de maio

A Série de Webinários do MIDAS apresenta as pesquisas dos membros do MIDAS e é aberta ao público. 

Inscreva-se agora!

Data/hora: sexta-feira, 29 de maio, 12h00-13h00, EDT

Tópico: Um modelo de parecer de especialistas para prever os estágios iniciais da epidemia de COVID-19 nos Estados Unidos

Palestrante: Dr. Thomas McAndrew, pós-doutorando em bioestatística, Universidade de Massachusetts, em Amherst
Thomas McAndrew é um cientista da computação que une bioestatística e ciência de dados, estudando modelos por conjuntos, previsões de especialistas e financiamento coletivo para a previsão de doenças infecciosas. Ele tem doutorado em Ciências Matemáticas pela Universidade de Vermont, mestrado em Bioestatística pela Universidade de Georgetown e bacharelado em Biomatemática pela Universidade de Scranton. Na indústria, Tom atuou como diretor associado de bioestatística na Fundação de Pesquisa em Doenças Cardiovasculares, onde liderou uma equipe de bioestatísticos que projetou e analisou ensaios clínicos multinacionais. Para obter mais informações, acesse o site: http://www.thomasmcandrew.com/

Resumo: A transmissão comunitária do SARS-CoV-2 foi relatada nos EUA em 26 de fevereiro. Desde que o vírus foi declarado uma pandemia pela OMS em 11 de março, ele se espalhou rapidamente pelos EUA e causou mais de 1,1 milhão de casos confirmados e 62 mil mortes. As previsões fornecem às autoridades de saúde pública, tanto em nível estadual quanto federal, informações acionáveis que podem ser usadas para mitigar antecipadamente o impacto de uma epidemia. Porém, as previsões de modelos computacionais, em geral, dependem fortemente de dados de vigilância confusos e demandam muito trabalho para serem construídas. Sem a orientação de previsões, a saúde pública deve contar com a pouca experiência anterior para informar a intervenção. Uma previsão de consenso de especialistas, sintetizando informações objetivas e subjetivas, pode ser desenvolvida rapidamente para prever a fase inicial de um surto, enquanto os modelos computacionais ainda estão em construção. Além disso, um modelo de parecer de especialistas pode atender às necessidades de saúde pública em evolução, fazendo diferentes perguntas sem muito esforço. Toda semana, desde 17 de fevereiro (no início da epidemia) até o momento, pedimos para especialistas preverem a trajetória da epidemia de COVID-19 nos EUA. Mais de 40 especialistas fizeram previsões que forneceram informações antecipadas às autoridades de saúde pública. Ao longo de dois meses, eles fizeram quatro previsões do número de mortes nos EUA até o final de 2020, com mediana variando de 150.000 a 250.000 mortes. Os intervalos de previsão de 80% correspondentes ao número de mortes foram gerados, com limite mínimo inferior de 19.000 e limite superior máximo de 1,2 milhão. Os especialistas também estimaram que, em 27 de abril, haveria mais de 14,5 milhões de casos de SARS-CoV-2 nos EUA, com um intervalo de predição de 80% de 4,8 milhões a 28,1 milhões. Eles previram que as hospitalizações em nível nacional nos Estados Unidos provavelmente atingiriam o pico entre abril e junho. As estimativas dos especialistas estavam de acordo com outras previsões de modelos computacionais, e os intervalos de previsão de 80% dos especialistas equivaleram ao número real de casos confirmados nos EUA em nove a cada dez previsões avaliáveis. Um consenso de especialistas exige pouco esforço e pode ser implantado logo no início de um surto para fornecer aos tomadores de decisão insights sobre uma doença em evolução. Após a construção de modelos computacionais, os especialistas podem analisar uma grande variedade de questões para complementar as previsões computacionais realizadas durante uma catástrofe global, como o novo coronavírus.